As latas do Natal - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

As latas do Natal

Colecionador > Página 6
Sergio Valério
 
Mariano recolheu mais uma lata vazia na rua e sentou-se na calçada. Já se passavam 12 horas antes da primeira lata que ele havia recolhido e o homem precisava descansar um pouco.
As luzes da cidade estavam mais acesas do que nunca, afinal de contas, era Natal.
Mariano nem se lembrava mais o que era passar um Natal em família, pois desde que viera de sua terra, perdera o contato com todos os seus.
20 longos anos se foram e o sonho de realização na capital  havia se transformado em apenas um sonho e nada mais. Agora a luta era apenas para sobreviver um dia após o outro.
De repente, Mariano sentiu um toque em sua perna e virou-se rapidamente. O cachorro olhou fixamente para os olhos de Mariano e parecia sorrir. O homem não resistiu e sorriu também.
Mariano ergueu-se, apoiou as mãos em sua carroça e seguiu seu caminho em busca de mais uma lata.
O cachorro o acompanhou e se alguém tivesse visto a cena, juraria ter visto uma pequena e diferente luz que iluminava o caminho por onde iam os dois.
Poderia ser quem sabe, uma nova estrela trazendo o nascimento de uma nova e grande amizade, talvez a verdadeira razão daquilo que se chama de Espírito de Natal.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal