Outono: Os cuidados com os pets - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Outono: Os cuidados com os pets

Seções > Cães > Parte 2
OUTONO: OS CUIDADOS COM OS PETS!
(Fonte Drogavet)

O outono chegou e, com ele, começa a menor incidência de luz solar, o aumento dos ventos, a redução gradativa das temperaturas, a baixa da umidade do ar, e em determinados estados brasileiros, o aumento da incidência de nevoeiros e geadas pelas manhãs. Se para adultos e crianças a estação pode ser sinôniomo de doenças, para os pets a reciproca é verdadeira.
 
Segundo a Dra. Andressa Cris Felisbino, médica veterinária da unidade de Curitiba da DrogaVET - líder na manipulação de medicamentos de uso veterinário no País -, tais características da estação trazem malefícios à saúde dos pets, dada a proliferação de doenças, como a traqueobronquite infecciosa canina, mais conhecida como tosse canina, ou simplesmente, gripe canina. “Ela é causada por vírus e bactérias, sendo que os principais sintomas nos animais de estimação são: tosse, espirros, secreção nasal, febre e a falta de apetite. Essa doença pode acometer os pets de todas as idades”, explica a veterinária.
 
Os felinos não saem ilesos nesta estação. “Nos gatos a doença característica da estação é a rinotraqueíte felina, também causada por um vírus”, diz Dra. Andressa. Os sintomas da doença são: secreção nasal e oculares, febre, espirros, perda de apetite, e é considerada altamente contagiosa.  A médica veterinária indica que, aos primeiros sinais das doenças nos cães e nos gatos, o tutor deve encaminhá-los ao veterinário. “Tanto a traqueobronquite infecciosa quanto a rinotraqueíte felina são tratadas com antibióticos e anti-inflamatórios. Nestes casos, a atenção deve ser redobrada quanto à hidratação dos animais e à sua alimentação”, enfatiza a profissional.

Além das doenças já mencionadas, outros males podem afetar a saúde dos pets nesse período, sendo eles: a conjuntivite, ocasionada pelo tempo mais seco devido o aumento da poluição acarretada pela baixa umidade do ar e doenças relacionadas às articulações, em especial, em animais de idade mais avançada.

No outono, a maior incidência de parasitas como o carrapato, pode acarretar em sérios riscos à saúde dos pets. Entre as doenças transmitidas pelo parasita, cabe ressaltar os perigos que envolvem a Babesiose. “Essa doença é causada por um protozoário e transmitida pelo carrapato. Ela destrói glóbulos vermelhos e pode levar à morte. Além disso, também causa anemia e gera outros graves sintomas, como a palidez, a perda de apetite, pele e olhos amarelados e a urina de cor escura”, enfatiza a médica veterinária da DrogaVET.

Dicas e cuidados
Para minimizar as chances dos pets contraírem uma das doenças mencionadas, Andressa, lista algumas medidas que podem ser tomadas pelos tutores:
·        Pets de pelo curto podem utilizar roupa nos dias mais frios;
·        Animais de pelo longo não devem passar por tosa durante o outono;
·        Diminuir frequência de banhos é indicada para minimizar as chances de o pet adoecer;
·         Abrigá-los em local apropriado;
·        Evitar levar os pets em hotel e onde haja aglomerações de animais, uma vez que essas doenças são altamente transmissíveis;
·         Vacinação em dia é a melhor prevenção;
·         Evitar passeios em dias e noites com chuva;
·         Manter os olhos dos pets sempre limpos;
·        Hidratação é fundamental;
·        Utilizar repelentes, carrapaticidas e afins;
·         Realizar a higienização mesmo que com lenços umedecidos e banhos secos;
·        Proteção contra frio, disponibilizando um cobertor, além de manter a caminha seca e protegida do chão frio, forrando os ambientes com jornal, principalmente para os pets que dormem fora de casa. A esses, recomenda-se a adoção de um abrigo próprio;
·        Alimentação de boa qualidade.
 

 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal