Pets sentem mais fome no Inverno? - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Pets sentem mais fome no Inverno?

Seções > Cães > Parte 3
PETS SENTEM MAIS FOME NO INVERNO: MITO OU VERDADE?
Fonte: PremieRpet®

O frio chegou em boa parte do Brasil e junto com ele antigos hábitos, tais como ofertar mais alimentos para os animais de estimação. Dizem que "eles sentem mais fome no frio", mas será que isso é verdade? A médica veterinária da PremieRpet® Dra. Keila Regina de Godoy garante que isso não corresponde à realidade brasileira e explica abaixo os motivos.
Uma situação que se repete ano após ano: as temperaturas começam a cair e algumas pessoas passam a incrementar as refeições de seus cães e gatos com "um tantinho de alimento a mais" no prato. O argumento: "eles sentem mais fome no frio", ou ainda: "eles precisam de mais calorias para manter a temperatura corporal".

Mas, afinal, isso é mito ou verdade?

A resposta é: MITO!

Sem saber, essas pessoas estão cometendo um engano e contribuindo para um desequilíbrio alimentar, o que pode levar seus animais de estimação a um quadro de sobrepeso e até mesmo à obesidade!
De acordo com Dra. Keila Regina de Godoy, médica veterinária e gerente de capacitação técnica da PremieRpet, empresa especialista em alimentos de alta qualidade para cães e gatos, o inverno brasileiro pode ser considerado ameno e não demanda um incremento de calorias para os pets.
“Estamos em um país tropical onde o inverno é ameno. E devemos levar em conta que a grande maioria dos pets que têm dono vive dentro de casa e não fica exposta por longos períodos às baixas temperaturas. Muitos possuem camas, roupinhas e cobertores para se abrigar do frio”, explica Keila.
Segundo ela, a situação é diferente de países onde o frio é muito intenso e, de fato, o organismo dos animais têm um gasto energético adicional para manter a temperatura corporal. “Nesses locais de inverno rigoroso, sim, os cães e gatos podem necessitar de um incremento na quantidade de alimentação para compensar as necessidades, principalmente se frequentam áreas externas à residência”, esclarece.
Portanto, fica o alerta: no Brasil o inverno não é desculpa para aumentar a comida do pet! “Exceto se o animal em questão vive ao relento em um local de frio intenso, por exemplo, um cão de pastoreio no Rio Grande do Sul”, exemplifica a Dra. Keila. Em caso de dúvidas, ela orienta consultar sempre o médico veterinário antes de mudar algo na alimentação do pet.
E atenção: nos meses frios é muito importante não descuidar da hidratação do pet, pois ele pode sentir menos sede e, consequentemente, ingerir menos água. É importante caprichar na oferta de água, sempre limpa e fresca, e evitar muita exposição a aquecedores.


 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal