O Candidato - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Candidato

Colecionador > Parte 1
Sergio Valério
 
Ele se preparava para o debate que iria começar dentro de meia hora. Os seus assessores estavam agitados, cada um lhe lembrava ao ouvido, pontos importantes que não poderiam ser esquecidos quando de suas falas, afinal de contas, ali poderia estar sendo decidido o futuro da sua candidatura.
         No auditório, jornalistas e convidados especulavam como seria a performance dos que participariam do debate. Será que iriam levantar aquela ou a outra questão? Os câmeras ajustavam suas posições, o diretor pedia atenção a todos, o âncora tomava seu copo d’água rezando para o seu santo, pedindo proteção e inteligência na condução.
         Quando faltavam cinco minutos para a rede de televisão entrar no ar, chegou a notícia de que um dos candidatos precisaria sair e pedia que o debate fosse atrasado por meia hora.
         Meia hora? gritou o presidente da rede de televisão, sentado na primeira fila. Temos anunciantes! Será um grande prejuízo!
         Enquanto no estúdio uma grande agitação acontecia, o candidato que havia pedido meia hora de atraso para o início do debate, entrava em um táxi e se dirigia, sozinho, para a sua casa que ficava ali perto.
         Chegando, desceu do táxi correndo, pedindo que o motorista o aguardasse e entrou em casa. A mulher o abraçou e os dois foram para onde estava Juma.
         A cachorrinha estava prestes a dar a luz a filhotes e o candidato não queria perder este momento mágico onde a vida se mostraria tão intensa.
         Alguns minutos depois, o candidato voltava para a emissora de televisão com um sorriso nos lábios, com a imagem dos quatro filhotes de Juma em seu pensamento. O debate já havia começado sem ele, afinal de contas, o tempo é o que mais importa para aqueles que vivem em função do dinheiro.
         Ele entrou no estúdio e se posicionou em frente ao microfone, respondeu as perguntas que lhe foram feitas, mas mudou totalmente as perguntas que haviam lhe passado para fazer, para desespero dos seus assessores que murmuravam: Ele ficou louco?
         A eleição aconteceu e o candidato, surpreendentemente, ganhou com mais da metade dos votos. Os analistas tentaram explicar, mas somente quem sabia da história daquele dia do debate, sabia a verdadeira razão da vitória.
         Quando as pessoas e os candidatos são sensíveis de verdade ao amor aos animais e, consequentemente, ao amor à vida, a vitória não mais depende das urnas, pois já está dentro de cada um de nós.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal