Dr. J. Alberto L.C. Moreira - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Dr. J. Alberto L.C. Moreira

Seções > Entrevistas > Profissionais > Pág. 01
O médico veterinário, Dr. J. Alberto L.C. Moreira, responde a diversas perguntas enviadas pelos nossos internautas. Confira!

1. Qual é o tipo de doença em cães que é provocada pelos carrapatos? (pergunta enviada por e-mail, por Beatriz, SP)
R. Chamada de Babesiose ou às vezes se conhece popularmente como Tristeza Parasitária. Ela é causada por um protozoário, sendo as mais comuns a Babesia canis e a Babesia gibsoni e suas subespécies. A babesia é um hemoparasita que ataca as hemácias, que chamamos de glóbulos vermelhos do sangue, responsáveis pela oxigenação do sangue. Transmitida por carrapatos (Rhipicephalus sanguineus) essa doença normalmente evolui silenciosamente, pois seus primeiros sintomas podem levar até 2 meses para aparecer. Tudo vai depender do estado imunitário do animal, sua idade, sua condição física. Os sintomas, normalmente, são mudanças no hábito do animal, começa a ficar mais quieto, dormir muito, se alimentar mal, suas mucosas vão ficando menos rosadas (anemia) e tornando-se amareladas (icterícia). No consultório, o Médico Veterinário pode através do exame do animal e de exames laboratoriais detectar essa doença e começar a tratá-la rapidamente. Em casos mais graves temos aumento do baço e lesões graves em fígado e pulmões. Portanto, se você frequenta parques, praças públicos e locais onde tenha concentração de animais, procure utilizar os medicamentos (pour on) que previnem a contaminação de ectoparasitas (carrapatos e pulgas) em seus animais. Agora, no caso de notarem carrapatos nos seus animais, procurem o Médico Veterinário que os trata para que seja feita uma investigação clínico/laboratorial de seu animal e se ele não está contaminado, quanto mais cedo detectada e tratada, maior as chances de seu animal não chegar a quadros graves, ou a óbito.

2. Como descobrir que um cão não escuta bem ou se apenas não está atendendo aos comandos? (pergunta enviada por e-mail, por Juarez, Campinas, SP)
R. A surdez pode acometer tanto os cães, quanto os gatos. Os sintomas mais comuns são, além de não atender aos comandos, não reagir a estímulos sonoros muito fortes, dormir mais do que normalmente o faziam. No caso de surdez causada por casos de otites agudas ou crônicas, temos também odor forte exalado pelas orelhas e condutos auditivos, as vezes secreção e o animal balança, com certa constância, a cabeça. Em muitos casos de otite a surdez pode ser revertida total ou parcialmente, depende das lesões provocadas pela otite. Os cães e gatos também pode nascer surdos, mas devido a sua inteligência e capacidade de adaptação podem viver e conviver normalmente conosco e com seus coleguinhas peludos.

3. Quando aparece sangue nas fezes de um cão, o que pode ser? (pergunta enviada por e-mail, por Josafá, do Rio de Janeiro)
R. O sangue vivo ou traços dele, nunca deve ser observado nas fezes de seus animais, porém pode ocorrer tanto em cães, como em gatos. Os cães possuem uma mucosa intestinal muito sensível e  que pode sangrar com certa facilidade. Esses sangramentos se tornam bastante comuns nos casos de viroses como a parvo e a corona virose muito comum em filhotes que ainda não completaram o esquema de imunização e em cães adultos não vacinados. Os animais acometidos tem quadros de diarreia com sangue muito agudos que podem a levar o animal a óbito devido a desidratação. Além das viroses, as verminoses,  intoxicações por venenos, alimentação inadequada, doença do carrapato, ingestão de corpos estranhos, tumores intestinais, problemas renais e ou hepáticos, diarreias crônicas podem levar também ao sangramento pela irritação das mucosas intestinais. Portanto se seu animal apresentar sangue nas fezes leve ele ao Médico Veterinário, para ser examinado e realizado os exames necessários. Uma dica: Se você estiver em dúvida se o que está nas fezes de seu animal é sangue, muitas vezes podemos derramar um pouquinho de água oxigenada nas fezes e se houver uma reação de formar espuma, provavelmente é mesmo sangue que se encontra nas fezes dele.

4.   "Tenho 14 gatinhos, 3 deles são fêmeas, todos tem Rinotraqueíte Felina, e toda hora morre 1 ou 2. Tenho um quintal grande, e sempre entra algum gato grande aqui para machucar algum gatinho. Eram 20 gatos, mas todas as vezes que eu acordava tinha um morto, por causa da doença. Eles parecem sempre asmáticos, com muitos espirros, muita coriza, olhos saindo lágrimas, nariz travado pela quantidade de coriza, olhos com muita remela. Os mais novos são os que sofrem mais, os mais velhos têm uma certa resistência. Eu gostaria de saber de vocês, alguma dica, alguma mágica, algo que eu possa fazer, para curá-los. (pergunta enviada por Mario Moraes)
 
R. Olá, Mário! A Rinotraqueíte Viral Felina é uma doença muito comum em gatos, principalmente naqueles que tem contato com outros gatos, que não os de casa ou com gatos de rua. Pelo que você nos informa, seu manejo com os animais não é o adequado. Sugiro que, sendo o seu quintal muito grande, use telas tipo alambrado nas laterais dos muros aumentando a altura, sem perder a circulação de ar e a luminosidade. Evitando assim a entrada de gatos que possam vir a molestar seus animais e não transmitir doenças e ectoparasitos (pulgas e ou carrapatos). Aliás, use vermífugos regularmente em seus animais, no seu caso a cada quatro meses, uma vez que eles tem contato com animais externos. Quanto a Rinotraqueíte, primeiramente fechado o diagnóstico, verificado via laboratorial (exames), se não existe infecção bacteriana secundária, estabeleça o tratamento instituído pelo Médico Veterinário. Sem esquecer que, quanto mais rápido detectado o problema e instaurado o tratamento correto, maior o sucesso de seu gatinho ante a doença. Lembrando também que o quão mais novo é seu gatinho, mais frágil e sensível ante a doença ele será. Meu amigo, a mágica contra a Rinotraqueíte e outra qualquer doença se chama "PROFILAXIA", prevenção.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal