Dra. Heloysa Giraldez Santana - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Dra. Heloysa Giraldez Santana

Seções > Entrevistas > Profissionais > Pág. 01
A Dra. Heloysa Giraldez Santana, médica veterinária, nos traz informações importantes sobre como oferecer qualidade de vida para os nossos pets. Ela também nos fala de seus queridos animais, na infância e atualmente.  

1. O que a levou a estudar Medicina Veterinária?
R. Sempre tive dom para medicina, como neta e sobrinha de médicos renomados na área humana, sempre fui absolutamente apaixonada por cavalos. No colegial, ao me ver prestes a prestar vestibular, tive que decidir entre medicina e medicina veterinária, onde minha paixão por cavalos me levou a esta profissão que hoje em dia trabalho apenas com pequenos animais (cães e gatos), onde encontrei a medicina mais pura e praticável!
 
02. Dentro da Medicina Veterinária, você se especializou em algum segmento?
R. Por enquanto ainda é só plano, tenho paixão pela clínica geral, mas que infelizmente não é valorizada, sendo então uma área onde tenho muito sucesso e me procuraram mesmo eu não tendo o título, a dermatologia.

03. Onde você trabalha atualmente?
R. Trabalho na Nutrivet Manaira, na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil, porém sou formada e nascida em São Paulo, capital.

04. Você teve animais de estimação em sua infância?
R. Tive sim, cavalos, dois (Peron e Stage do Valle), Pietra e Cacau (cães), entre aquários, canário do reino, entre outros... Os cavalos já eram adultos, o Stage era aposentado do Jóquei clube de São Paulo e Peron um SRD (sem raça definida) que era mais um pet que outra coisa. Os cães, o Cacau morreu com 19 anos, de velhice e Pietra, que era filha dele teve câncer e se foi aos 8 anos, eram dois pinschers... foram grandes companheiros de infância, meus primeiros cães que nunca me esquecerei...
 
05. Atualmente você tem animais de estimação?
R. Tenho sim, mega agitada, mestiça de fox paulistinha/pinscher,  chamada Tequila, ela é branca e preta, com a pele bem macia e rosada, quase não tem pelos...(rs)
 
06. O que os governos ainda não fizeram e que precisaria ser feito em relação à proteção e cuidados com os animais?
R. Penas severas aos cometedores de crimes como abandono e maus tratos, hospitais públicos em regiões mais humildes e vacinação de doenças caninas e felinas/zoonoses (leishmaniose) também na rede pública (no mínimo), de boa qualidade, pois a prevenção é o ponto chave na hora de promover saúde.
 
07. Qual é a sua opinião sobre a alimentação para cães e gatos? É a ideal ou rações podem contemplar a alimentação de cães e gatos?
R. Eu pra ser bem sincera, não sou muito a favor das rações. Se imagine almoçando e jantando uma comida altamente processada, ensacada, cheia de corantes e conservantes, obviamente isso trará consequências a longo prazo, mas em contrapartida, tratar com comida de panela desbalanceada, cheia de temperos, jogada para o animal de qualquer jeito, é melhor dar ração da melhor qualidade que puder. O ideal então seria alimentação natural específica para cada pet e sua necessidade, montada por um veterinário nutrólogo ou zootecnista.
 
08. Quanto aos filhotes de cães e gatos? Teria a mesma opinião sobre o tema de alimentação? O ideal é que seja natural ou rações contemplam de forma até mais adequada?
R. Alimentação natural muito bem balanceada por um profissional e suplementações para bom desenvolvimento imunológico e físico.

09. Quais são as doenças que mais acometem cães e gatos? Como prevenir estas doenças?
R. Doenças virais, as quais muitas têm vacinas e doenças causadas por hormônios, que na maioria das vezes a castração evitaria, dentre outras, doenças causadas em brigas entre gatos, como a esporotricose que é também uma zoonose, ou seja, infecta também seres humanos e doenças de pele, que com boa higiene e mais uma vez, boa alimentação podem ser amenizadas...
 
10. De uma forma geral, como se deve cuidar de um animal de estimação?
R. Vacinação, vermifugação, boa alimentação e procurar orientação sobre as doenças mais comuns no seu estado, país ou região, onde o veterinário saberá lhe dizer especificamente como prevenir cada uma delas... então em resumo, promover saúde é pensar em prevenção.
 
11. O que você, como médica veterinária, gostaria de dizer para os internautas da web revista Jornal Animal que gostam tanto de ser tutores de seus pets?
R. Não sigam dicas de internet ou balconista de pet shop, ou qualquer leigo, o que deu certo para o outro pode matar seu pet a curto ou longo prazo. Não automediquem seus animais, os alimentem bem e chequem com um médico veterinário a respeito de todas as doenças que podem ser prevenidas e por fim, castrem!!!
Dra. Heloysa Giraldez Santana - médica veterinária graduada pela FMU em São Paulo, trabalhou na Bahia, e em João Pessoa como clínica geral de pequenos animais.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal