Viviane Almeida Medeiros - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Viviane Almeida Medeiros

Seções > Quem cuida do seu Pet? > Auxiliares de Enfermagem
 
Viviane Almeida Medeiros

Auxiliar de enfermagem, ela nos fala de seu trabalho e de seus pets, demonstrando todo o amor, carinho e respeito que tem pelos animais.

1.      O que a levou a atuar como auxiliar de enfermagem animal?
 
R. Eu sempre fui apaixonada por animais, meu sonho era poder trabalhar com eles, eu acreditava que ser veterinária seria minha vocação, mas neste ramo da enfermagem descobri que os amo demais e que teria muita pena em realizar cirurgias e outros procedimentos invasivos, tanto que atualmente estou cursando biologia, para poder trabalhar com eles no “cuidar”.
 

2.      Como é o seu trabalho? Conte-nos sobre o seu dia-a-dia como auxiliar de enfermagem animal.
 
R. O trabalho para mim é muito prazeroso por ser com animais, cães e gatos, minhas paixões, apesar dos momentos tristes quando perdemos algum animalzinho, temos momentos maravilhosos, como a satisfação de ver a recuperação deles, e fico muito feliz quando eles recebem alta, e os donos vem buscá-los com toda a alegria.
 
No meu dia a dia, eu realizo a medicação prescrita pelo medico veterinário, no horário certinho, mantenho o animalzinho limpo e alimentado, fazendo o possível para garantir conforto e carinho, eu trato todos da mesma maneira como gostaria que tratassem os meus, levo muito a sério, pra mim eles são seres iluminados de uma pureza inigualável, é um privilégio trabalhar com eles.
 
Acredito que é um ramo onde você precise realmente amar, pois lidamos diariamente com vômitos, diarreias, entre outros, sem contar arranhões, mordidas, é necessário muita paciência e dedicação.
 

3.      Você teve animais de estimação em sua infância? Como se chamavam e como eles eram?
 
Sempre tive animais, minha primeira cadelinha eu ganhei com 7 anos de idade ela se chamava Pitucha e viveu 16 anos, me deixou quando tinha 23 anos, era minha irmãzinha, sinto saudades até hoje, ela era pequena da raça coton de tulear, criamos os filhotes dela a Baluzinha, Bolo e Loop.
 
Tivemos também a Rubra, uma vira lata cruza com pitibull, onde em dia ficaram somente o filhote dela com 12 anos e neto dela, que moram com meu pai.
 

4.      Atualmente você tem animais de estimação? Como eles se chama e como eles são? Tranquilos? Agitados?
 
R. Tenho dois cachorros vira latas, adoro vira latas, alias adoro cachorros rsrs, o mailow e o neguinho, o mailow adora passear e é mais tranquilo, o neguinho é doidinho bagunceiro, nervoso, encrenqueiro, mas sabe ser um amorzinho é muito carinhoso, são minhas riquesas.
 

5.      O que os governos (municipais, estaduais e federal) ainda não fizeram e que precisaria ser feito em relação aos animais?
 
R. É necessário leis mais rígidas contra maus tratos, abandono, e é extremamente necessário uma campanha de castração e tratamento de doenças, a matança é cruel, e pode ser evitada. É necessário a implantação de hospitais veterinários públicos, sofremos demais para tratar nossos animaizinhos, é muito caro nem todos podem pagar.
 

6.      O que você gostaria de dizer para os internautas da web revista Jornal Animal que gostam tanto de ter os seus pets?
 
R. Gostaria de fazer um alerta, não se enganem com risos e palavras bonitas, procurem investigar as clínicas e banho e tosa, onde deixam seus pets, por trás daquelas portas podem acontecer coisas absurdas, e que devemos procurar saber, pois eles não falam não sabem se defender, eu já sai de empregos por não concordar com certos procedimentos, falta de higiene, e até descasos, procurem perceber as reações de seus animais, se mudam de comportamento, se chegam tristes, com a cauda caída, qualquer sinal estranho tem que ser levado em consideração.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal