Dra. Gabriela Costa Gutheil - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Dra. Gabriela Costa Gutheil

Seções > Entrevistas > Profissionais > Pág. 02
Nesta entrevista, a médica veterinária Dra. Gabriela Costa Gutheil nos traz importantes informações sobre a saúde dos pets e também nos fala de seus queridos animais. Vamos conferir?

01. O que a levou a estudar Medicina Veterinária?
R. Foi um sonho de criança. Confesso que relutei a aceitar a minha verdadeira vocação. Achava que seria um caminho muito difícil. Antes de me tornar veterinária fiz duas faculdades. Não fui feliz em nenhuma delas. Até que, finalmente com vinte e sete anos, decidi concretizar o meu sonho. Entrei para Medicina Veterinária.
Amo animais e mais do que isso, sei que posso ser útil e fazer alguma coisa por eles.

02. Dentro da Medicina Veterinária, você se especializou em algum segmento?
R. Sim, quem decide ingressar nessa área deve ter em mente que nunca pararemos de estudar. Em 2006 fiz minha primeira Pós-graduação em Clínica de pequenos animais e daí em diante não parei. Com o avanço da Medicina Veterinária e com o aumento da expectativa de vida dos animais, levando ao crescimento da população de animais idosos, observei que seria necessário realizar vários cursos de extensão e especialização focada na área de Geriatria.

03. Onde você trabalha atualmente?
R. Faço atendimento em clínicas, quando solicitada, e principalmente atendimentos domiciliares, evitando o deslocamento dos animais, que na sua grande maioria são idosos.

04. Você teve animais de estimação em sua infância?
R. Sim, sempre! Meu primeiro cachorro se chamava Bidu, depois tIve o Snoppy, Preta e Raissa. Tive também duas gatas, a Bizu e a Melissa. Eles eram muito brincalhões e amorosos. Saudade eterna de todos.

05. Atualmente você tem animais de estimação?
R. Atualmente tenho a Belinha e a Juju. Duas gatas. A Belinha é uma gata persa, calmíssima, característica inerente à raça. A Juju eu adotei, é uma SRD e é bem agitada. São meus grandes amores.

06. O que os governos (municipais, estaduais e federais) ainda não fizeram e que precisaria ser feito em relação à proteção e cuidados com os animais?
R. Infelizmente a grande maioria dos cuidados em relação aos animais, que deveria ser atribuição do Estado, é realizado por organizações (ONGs) e protetoras. Essa responsabilidade deve ser do Estado, mas infelizmente não é.
Em primeiro lugar, a educação da população sempre foi e será uma grande prioridade. Animal não é brinquedo. Deve-se ter consciência dos direitos dos animais. Abandono e maus tratos são crimes e devem ser tratados como tal.
Também é estritamente necessário, mais campanhas de esterilização e hospitais públicos acessíveis a população carente. Observo que muitos gostariam de cuidar adequadamente de seus animais, mas não conseguem, justamente pela falha do Estado.

07. Qual é a sua opinião sobre a alimentação para cães e gatos? É a ideal ou rações podem contemplar a alimentação de cães e gatos?
R. Sempre priorizo o equilíbrio. A ração nos proporciona praticidade e uma boa suplementação. Isso quando falamos de uma ração de qualidade. Ofertar comida, desde que balanceada, contendo quantidades adequadas de proteína animal, carboidratos, fibras e vegetais também pode ser uma boa opção. O mais importante é adequar isso no estilo de vida do tutor. Nem sempre podemos fornecer alimentos, pela demanda de tempo, apesar de existir no mercado alimentos industrializados disponíveis.
Gatos, já são um caso à parte. Eles precisam necessariamente de suplementação, pois não conseguem metabolizar vários aminoácidos. Um exemplo é a taurina, aminoácido essencial para gatos. Caso não seja fornecido pode levar o animal à cegueira, problemas cardíacos e outras patologias graves. Nesse caso é importante suplementar com alimentos que contenham esse aminoácido. Na dúvida, sugiro, optar pela ração. Pois está já vem com toda suplementação necessária.

08. Quanto aos filhotes de cães e gatos? Teria a mesma opinião sobre o tema de alimentação? O ideal é que seja natural ou rações contemplar de forma até mais adequada?
R. Em relação aos filhotes reitero a mesma opinião descrita acima. Vale lembrar que filhotes recém-nascidos devem ingerir o leite materno pelo menos até seus 45 dias de vida, e passado esse período, introduzindo a ração, ou alimento (extremamente balanceado para filhotes) gradativamente.

09. Quais são as doenças que mais acometem cães e gatos? Como prevenir estas doenças?
R. Depende da idade e do estilo de vida. Cães jovens que têm contato com outros animais, as viroses são as grandes vilãs. Assim com gatos filhotes. Estas só podem ser evitadas através da vacinação. Atenção para o vírus da raiva, que é uma zoonose que estava erradicada, mas infelizmente voltou a assombrar a todos.
Cães idosos e gatos são acometidos principalmente por doenças cardiovasculares e hormonais. Para prevenir é importante o tutor realizar check up semestral ou anual (exames de imagem, hemograma...).
Também não podemos esquecer das doenças transmitidas por vetores como a Leishmaniose e Dirofilariose, estas podem ser prevenidas por medidas profiláticas.

10. De uma forma geral, como se deve cuidar de um animal de estimação?
R. A primeira coisa que devemos ter em mente, quando decidimos ter um animal é: "tenho tempo para ele?". Animais gostam de companhia. E, é claro, que devemos lembrar que há custos. Eles precisam ir ao veterinário, tomar vacinas, fazer exames, medicamentos, enfim, será que temos condições? Caso a resposta seja afirmativa nas duas opções, vá em frente. Lembrando que quando adotamos ou compramos é para a vida toda. Combinado a tudo isso, amor, carinho e dedicação.
 
11. O que você, como médica veterinária, gostaria de dizer para os internautas da web revista Jornal Animal que gostam tanto de ser tutores de seus pets?
R. A mensagem que eu deixo para todos os tutores da revista Jornal Animal é: Parabéns!!!! Vocês tutores, à medida que decidiram ter seus animais, estão proporcionando a eles o direito de serem amados, respeitados e ter uma vida digna. Os animais também merecem conhecer o que é o amor. E em troca, eles lhe darão em dobro esse sentimento. Tenham em mente que será para o resto da vida deles. E quando eles não estiverem mais presentes, vocês certamente terão a certeza que fizeram o melhor. Missão cumprida.

Dra. Gabriela Costa Gutheil

Formada em Medicina Veterinária na Universidade Castelo Branco (2004);
Pós-graduada em Clínica médica de pequenos animais pelo Instituto Qualittas (2006);
Pós-graduada em Docência do Ensino Superior pela Universidade Gama Filho (2010);
Especialização em Cardiologia de pequenos animais pelo Instituto CPT Cursos Presenciais (Viçosa-2014);
Curso de Eletrocardiografia Veterinária pelo Instituto Equalis (2014);
Curso de Cardiologia em Animais de Companhia pelo Instituto Qualittas de Pós-Graduação (2015);
Curso intensivo de Cardiologia e Eletrocardiograma com o cardiologista PHD James Andrade (Curitiba-2016);
Cursos de Aperfeiçoamento em Geriatria e Gerontologia (2015-2016);
Trabalhou em clínica médica de pequenos animais no período de 2004-2010;
Atendimento individualizado em felinos com doença policística renal (PKD), no período de 2010-2014;
Atualmente trabalha com cães e gatos senis, através de atendimento particular personalizado, visando o tratamento e prevenção de doenças que afetem animais de idade avançada.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal