Cláudio Nucci - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Cláudio Nucci

Celebridades > B - C
 
CLÁUDIO NUCCI:
 
“O meu maior sonho é que a música volte a ser matéria obrigatória nas escolas, desde o ensino fundamental, para que o nosso povo se musicalize melhor.  

 
 
Ele é um cantor e compositor brasileiro de muito talento. Ouvir sua voz e suas composições nos fazem ter a total convicção da qualidade da nossa música brasileira.
 
Sua carreira é brilhante, desde o seu primeiro show solo em Ipanema, até os dias de hoje quando festejamos os seus excelentes 35 anos de carreira.
 
Nesta entrevista, ele nos fala de sua Música e de seus queridos pets.

 
 
01.  CLÁUDIO NUCCI, em que cidade e estado você nasceu?
 
R. Nasci em Jundiaí, SP. Meus pais moravam em Dois Córregos, mas a estrutura melhor era onde moravam meus avós paternos, então assim foi.

 
 
02. Como foi o seu primeiro encontro com a Música?
 
R. Dentro da família sempre houve música. Meus avós por parte de mãe tocavam violinos num regional. Meu avô paterno era poeta e tocava violão. Meu pai me ensinou a tocar os primeiros acordes, meu tio me aperfeiçoou na empunhadura do violão e minha mãe junto com meu pai, me treinavam afinação no canto e mudança de tonalidade. As rádios tocavam de tudo um pouco...

 
 
03.  Você se lembra qual foi a primeira música que você interpretou?
 
R. Foi "Peguei um Ita no Norte", de Dorival Caymmi.

 
 
04. Qual é o seu maior sonho na Música e o momento mais emocionante em sua carreira?
 
R. O meu maior sonho é que a música volte a ser matéria obrigatória nas escolas, desde o ensino fundamental, para que o nosso povo se musicalize melhor. Outro sonho: Que todos os estilos musicais tenham visibilidade (ou audibilidade). Um momento emocionante foi cantar ao lado de um dos nossos maiores compositores, Edu Lobo.

 
 
05. Como você observa o quadro musical atual no Brasil?
 
R. Igual ao quadro geral: Cheio de potencialidades, mas por imposições de interesse econômico, bem longe do que poderia ser em termos de difusão, de mercado e de oportunidades.

 
 
06. Atualmente temos muitos programas de televisão que focam na "VOZ", apresentando a proposta de serem abertos espaços para cantores e cantoras. Além destes espaços, o que poderia ser feito para que mais cantores pudessem ser conhecidos, bem como um espaço maior para compositores?
 
R. O modelo "competição" sempre foi a tônica que motivou nossa sociedade e, portanto, a mídia com seus patrocinadores. Nos anos 60 mesmo, quando eu comecei a me interessar mais por música, assistíamos a festivais disputadíssimos (de composições) pela TV. Este enfoque hoje nas vozes, sobretudo na excelência interpretativa) retrata uma tendência de se tentar conseguir porta-vozes para as canções, mas com a finalidade de se explorar um mercado em que nem sempre a diversidade tão grande da nossa cultura é contemplada. Mas é positivo sim.

 
 
07. Você poderia nos contar sobre os seus novos lançamentos musicais?
 
R. Lancei este ano um álbum com inéditas, em parceria com o compositor e letrista Felipe Cerquize (no caso, ele fez todas as letras) e esse álbum (de nome INTEGRIDADE) teve participações especiais de grandes músicos, como Roberto Menescal, Antonio Adolfo, Lenine, Zélia Duncan e outros...

 
 
08. Você teve na sua infância animais de estimação?
 
 
R. Peta na infância, só na fazenda onde meus avós maternos moravam. Gerações e gerações de cachorrinhos de nome "Chiquinho" passaram pela família. (minha avó punha o mesmo nome em todos, pra simplificar, pois um morria, vinha outro.

 
 
09. Atualmente você possui animais de estimação?
 
R. Sim, agora vivemos eu e minha mulher (Dri Gonçalves, que inclusive canta comigo também) numa casa em que cabem os animais. Atualmente, uma fêmea marrom de porte médio de nome Tina (que vem de Clementina, em homenagem a Clementina de Jesus)  e um Husky enorme de olhos castanhos (parece mais um Malamute) de nome Wolf (também em homenagem a um personagem da música, Wolfgang Amadeus Mozart).

 
 
10. O que é cuidar bem de um animal?
 
R. É dar espaço, dignidade para o animal ser animal e atenção, sem exageros. Os nossos, por exemplo, vivem pelo terreno, livres...

 
 
11. Você poderia deixar um recado para os internautas da nossa web revista musical Fala Maestro?
 
R. Gente, a música é uma das coisas mais preciosas e dignificantes que existem nesse mundo. E como é que uma "coisa" imaterial e só feita de vibração pode exercer uma influência tão grande nas pessoas e mexer com as nossas emoções com tanta profundidade? Por isso é muito bom difundirmos a Música sobretudo para as crianças... E, mesmo que não se venha a ser músico profissional, é sempre bom ter a música por perto. Seja num instrumento, num cantar de chuveiro ou na nossa playlist.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal