Elymar Santos - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Elymar Santos

Celebridades > D- E - F
Elymar Santos:
Amor e Respeito pelos animais!

Elymar Santos, um grande cantor brasileiro, é também ator, tendo atuado com grande sucesso na famosa ópera-rock, “Evita”, interpretando Che Guevara. Diversas escolas de samba homenagearam Elymar pelo seu talento e pela sua garra, qualidades que o levaram a se tornar um conceituado artista em nossa música brasileira. Um dos momentos marcantes de sua carreira foi quando investiu o que tinha para realizar um grande espetáculo em uma das maiores casas de show do Rio, o Canecão. De lá para cá, o sucesso sempre o tem acompanhado e nesta entrevista, descobrimos também um Elymar Santos que ama e respeita os animais.
Sua vida e os seus primeiros animais:
Elymar nos conta: “Eu nasci em Ramos, no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro e a minha mãe se chama Ameli dos Santos. O primeiro animal que eu tive foi um papagaio, depois tive gatos, inclusive uma gata que se chamava Mimi e muitos cachorros. Um dos animais que mais marcou a minha vida foi o Paquito, um tenerife branco que eu ganhei do Alfredo Metidieri, quando eu cantava em um barzinho Sorocaba, SP. O Paquito veio comigo quando eu me mudei para o Rio de Janeiro, depois ficou na casa da minha mãe. Eu podia ficar um ano fora de casa, fazendo shows que quando eu chegava, ele fazia tanta festa que acabava até às vezes fazendo xixi, de emoção. Eu tive muitos animais, mas o que realmente mais marcou a minha vida foi o Paquito. Eu tive também um papagaio chamado Estrela. Eu moro em uma cobertura, no Leblon, aqui no Rio de Janeiro e, infelizmente, ele fugiu e nunca mais eu o encontrei”.

O Gato desaparecido:
Elymar se lembra de um fato muito especial que aconteceu em sua vida: “A minha empresária, Ângela, tem 16 gatos em seu apartamento e um dia, um dos gatos sumiu também. O interessante é que depois de muito tempo, estávamos chegando em meu apartamento e o gato estava bem na porta! A Ângela mora em Ipanema e eu moro no Leblon, como o gato sabia que ela vinha sempre em meu apartamento, ele acabou vindo para cá para encontrá-la!”

O Cavalo dado por um fã:
Ele se lembra também de outro fato muito curioso: “Eu estava fazendo um show em Nova Iguaçu, e um dos meus fãs, que era fazendeiro, entrou com um cavalo para me dar de presente. É claro que eu não sabia para onde levar aquele cavalo! Como eu tinha uma casa em Guapemirim, arrumamos uma forma de levar o cavalo para lá. Era um belo cavalo que ficou aos cuidados do caseiro”.

Os animais de hoje:
Atualmente Elymar tem um poodle gigante: “Hoje o Bruno está passando férias em Campo Grande na casa de uma amiga. Um detalhe interessante é que para jogar bola, o Bruno anda para trás! O médico veterinário que cuida dele comentou que é uma coisa muito difícil para um animal fazer. O Bruno parece que sabe quando eu vou sair e fica muito agitado quando não pode ir comigo. Numa destas vezes, eu fui até a varanda para olhar como estava o tempo para sair e ele, de propósito, subiu na minha perna e fez xixi na minha roupa, como se quisesse dizer: “Pelo menos, com esta roupa você não sai!”.

O que é cuidar bem de um animal?
Elymar reflete e nos diz: “Respeitar o animal no sentido das necessidades dele. Não deve ser aquela coisa de apenas achar o animal engraçadinho, é preciso entender que o animal precisa caminhar. Você não pode ter um animal por questão de vaidade, principalmente o cachorro que é um grande companheiro, que tem aquela coisa da amizade mesmo. Se ele percebe que estamos tristes, há também uma transformação no comportamento dele. É preciso cuidar da saúde e da higiene do animal e oferecer para ele uma vida saudável. Por exemplo, não se pode dar o que a gente come para o animal por pena, pois na verdade está se fazendo um mal para ele”.

O que Elymar ainda não fez e que pretende fazer:
Ele não pensa duas vezes e nos fala: “Eu não tenho outros planos que não seja o de cantar sempre, de continuar fazendo o que eu gosto de fazer. Eu já fiz tanta coisa em minha vida, fiz teatro, fiz cinema, agora está sendo feito um longa metragem com a minha vida... O que acontece é que eu às vezes acordo pensando em uma coisa e aí procuro realizá-la”.

RECADOS

De Elymar Santos para Você, Leitor(a):
“O meu recado é que se respeite os limites do animal, que não se faça do animal um objeto de decoração, que se tenha uma cumplicidade legal com o bicho, que se dê o espaço que ele precisa. Um animal é muitas vezes, muito mais leal do que seres humanos, então por isso, cuide bem do seu animal. Eu ouvi uma vez de Elis Regina, uma frase que eu uso muito em minha vida, eu diria que eu sou como um assum preto, quanto mais me ferem os olhos, mais eu canto”.

Do Jornal Animal para Elymar Santos:
O que é ser um artista? É preciso ter talento? É claro. E garra, ela é necessária? Sim! É fundamental muita garra para ir em busca do seu sonho. E o que mais? O artista precisa ser sensível o suficiente para se manter tranqüilo diante do sucesso, para que como um ser humano, se mantenha o mesmo depois de alcançar o sucesso. Elymar conquistou todas estas fases e por isso merece fazer parte da história da nossa música como um grande Artista, com A maiúsculo.

Do Jornal Animal para Você, Leitor(a):
Elymar Santos foi uma entrevista muito especial, pois sua vida nos oferece a lição de que devemos ir sempre em busca de nossos objetivos, com muita disposição, mas não nos esquecendo da nossa sensibilidade, sempre fundamental para nos vermos não como donos, mas apenas habitantes do Planeta Terra, ao lado de nossos queridos animais.

Sergio Valério

 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal