Dra. Tatiana Fleury - Jornal Animal

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Dra. Tatiana Fleury

Seções > Entrevistas > Profissionais > Pág. 01
 
Entrevistamos Dra. Tatiana Fleury, médica veterinária. Ela nos traz importantes informações sobre como oferecer os cuidados necessários para uma melhor qualidade de vida para os nossos pets. Vamos conferir?

 
 
01. O que a levou a estudar Medicina Veterinária?
 
R. Medicina veterinária foi a minha segunda faculdade. Trabalhei por muitos anos no mercado financeiro. Quando nova, queria ser veterinária mas achava que não saberia lidar com os animais doentes. Então mais velha tomei coragem e fui! Para ser médica veterinária não basta só amar os animais, tem que gostar de cuidar deles! São coisas bem diferentes.

 
 
02.    Dentro da Medicina Veterinária, você se especializou em algum segmento?
 
R. Sempre gostei da clínica médica. De acompanhar o paciente desde que ele nasce. Participar de tudo. Ser pediatra até me tornar geriatra. Um bom clínico, que esteja presente sempre, faz toda a diferença na vida de qualquer animal.

 
 
03. Onde você trabalha atualmente? Em que cidade, estado e país?
 
R. Trabalhei em clínicas grandes e pequenas no Rio de Janeiro, adquiri bastante experiência e hoje trabalho apenas atendendo em domicílio.

 
 
04.    Você teve animais de estimação em sua infância? Como se chamavam e como eles eram?
 
R. Minha primeira cadela foi aos 17 anos. Foram 17 anos de insistência até conseguir. Era uma labradora chamada Nina. Ela mudou totalmente a relação que eu tinha com animais. Me ensinou a amá-los de um jeito muito mais especial. Devo tudo isso a ela.

 
 
05.    Atualmente você tem animais de estimação? Como eles se chama e como eles são? Tranquilos? Agitados?
 
R. Hoje tenho dois cachorros que foram adotados já adultos. Uma vira lata chamada Cacau que é um anjo é um American Bully chamado Noah que é um capeta porém muito doce! Estão sempre comigo!

 
 
06. O que os governos (municipais, estaduais e federais) ainda não fizeram e que precisaria ser feito em relação à proteção e cuidados com os animais?
 
R. Acho que alem das questões de saúde hoje precisamos muito falar em leis que punam severamente os maus tratos, o abandono. Isso deve se aplicar a todos os animais, não só a cachorros e gatos. E não adianta fazer leis e não punir quem não as cumpra.

 
 
07. Qual é a sua opinião sobre a alimentação para cães e gatos? É a ideal ou rações podem contemplar a alimentação de cães e gatos?
 
R. Cães e gatos têm necessidades nutricionais bem diferentes. Os gatos precisam comer carne. São carnívoros estritos. Já os cães são onívoros. Há hoje, no mercado, excelentes rações. E se dadas da maneira correta, na quantidade certa suprem perfeitamente as necessidades dos dois animais.

 
 
08.    Quanto aos filhotes de cães e gatos? Teria a mesma opinião sobre o tema de alimentação? O ideal é que seja natural ou rações contemplar de forma até mais adequada?
 
R. Há rações específicas para filhotes e para adultos. E eles, nas duas fases, podem sobreviver muito bem só com a ração. A alimentação natural somente será uma boa opção se acompanhada por um nutricionista. Não temos como saber a quantidade de cada nutriente que nosso animal precisa, sem esse profissional. A alimentação natural por conta própria pode levar o animal a ter severas carências nutricionais.

 
 
09. Quais são as doenças que mais acometem cães e gatos? Como prevenir estas doenças?
 
R. As doenças mudam muito em função da região em que o animal vive. Porém o mais importante a se dizer, é que muitas das doenças que são comuns podem ser prevenidas com vacinas, medicações e cuidados. Cada raça tem tendência a doenças específicas também. Exemplo de doenças comuns e que podem ser prevenidas ou amenizadas: gripe, giardíase, doenças periodontais, cinomose, parvovirose, sarnas, dirofilariose (verme do coração) etc.

 
 
10. De uma forma geral, como se deve cuidar de um animal de estimação?
 
R. Primeiro e mais importante de tudo é sempre dar amor e dedicação. Somente vacinar com um médico veterinário. O ato de vacinar é bem mais complexo do que parece. Cuidados com uma boa alimentação, preventivos de pulga, carrapato e verme do coração. Em relação a passeios e socialização do animal respeitar sempre suas condições físicas, idade, raça e espécie.

 
 
11. O que você, como médica veterinária, gostaria de dizer para os internautas da web revista Jornal Animal que gostam tanto de ser tutores de seus pets?
 
R. Deem muito amor e atenção pros seus filhos peludos. Tirem um tempo todos os dias para eles. É só isso que eles esperam de nós. Sempre que notar qualquer coisa diferente no comportamento deles , procure um veterinário de sua confiança. Jamais medique sem orientação profissional.
 
Dra. Tatiana Fleury
Médica veterinária formada pela UNESA, Rio de Janeiro em 2014.
Clínica médica de pequenos animais
Crmv rj 13535
e-mail tatianafleury@yahoo.com.br
Editor: Sergio Valério
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal