Pets no Inverno - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Pets no Inverno

Seções > Cães
O médico veterinário Dr. Alberto Moreira explica para você:

Definitivamente o inverno se implantou em nossa vida esse ano, muito frio e variações bruscas de temperatura durante as 24hs do dia, sem contar a chuva que aparece sem aviso algum também.
Por isso vou lhes passar algumas dicas que podem ajudar seus pets a passarem por essa época do ano de forma mais confortável.

Doenças de Inverno

  Converse com Médico Veterinário de seu Pet, ele poderá lhe orientar se existem procedimentos específicos para seu amigo de pelos, escamas, couro ou de penas, como vacinas, vitaminas, entre outros cuidados, para você proteger o seu melhor amigo.
  Lembrando que existem vacinas específicas para a Tosse dos Canis (Bordeteliose) dos Cães e contra a Gripe dos Felinos. Informe-me com o Médico Veterinário e aplique-as em seu animalzinho anualmente.


Fotos Sergio Valério
Banhos, aumente os intervalos entre eles! Tosas? Evite-as!

A frase é "Mais Pelos e Menos Banhos!"
Os banhos devem passar a ter um intervalo maior entre um e outro. Outra coisa é dar banhos em horários de calor mais intenso, nos dias de sol entre as 10:00h e às 14:00h. Se você leva seu animal em pet shops, também deve diminuir a frequência entre os banhos, pois no inverno a pele de seu cão ou gato demora mais tempo até estar totalmente seca. Mesmo utilizando secadores especiais, e nós não percebemos, ela mantém certa umidade. Isto é um fator que pode facilitar o acometimento de doenças de pele.
Lembre-se que após o banho, em casa ou no pet shop, sem passeios, pois com a pele ainda úmida podem surgir as doenças relacionadas ao choque térmico como as doenças circulatórias ou ainda agravar casos crônicos de doenças ortopédicas (Displasias, tendinites, etc.).
A tosa também deve ser evitada, pois os peludinhos se garantem melhor com o uso de um casaco natural. Exceto nos casos da tosa higiênica.
O uso de roupinhas pode ser recomendado para os amigos de pelo curto, mas certifique-se que elas são confortáveis e seu amigo sinta-se bem dentro delas.
Caso ele não curta uma roupinha, o uso de cobertores e edredons nas caminhas deles funciona super bem.
Se o seu caso são os pássaros, vale também a frase lá de cima, um ou dois banhos por mês são suficientes, sempre em dias que a temperatura propicie um banho prazeroso ao seu amigo Caso não seja possível, ele pode ficar sem o banho por um bom tempo.
As caminhadas com seu amigo também devem ser nos horários mais quentes do dia. Se não for possível, agasalhe-o tão bem quanto você se veste para sair.


Alimentação!

Apesar de ficar mais quietinho no frio, seu pet passa a gastar 30% mais calorias para manter o corpo em funcionamento, portanto devemos aumentar a quantidade de alimento fornecido.
Caso você mantenha as mesmas quantidades corre-se o risco da perda de peso e consequentemente ele pode apresentar um quadro de desnutrição, e em animais fracos o sistema imunológico também fica fraco, facilitando o aparecimento de doenças. Então, se seu pet ingere 100g de ração por dia, passe para 130g.


A Terceira Idade

Assim como nós, nossos amigos Pets idosos também sofrem mais nos dias frios. Os problemas ósteoarticulares, nevrálgicos, circulatórios se manifestam mais intensamente nesse período. Observe como ele se porta principalmente no início do dia, ao se levantar, e no final do mesmo quando este se recolhe para seu cantinho preferido. Se você notar que existe dificuldade de levantar ou se locomover, excesso de cansaço ao realizar atividade de pouco esforço, procure o Médico Veterinário para uma orientação que ainda poderá indicar um especialista para o seu amigo idoso.
Essas são algumas informações que podem ajudar a trazer um inverno melhor para você e seu amigo pet. Assim vocês podem curtir melhor esse período que tende a ser bem chato para nós humanos e para os pets também.

 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal