Vacinas para Cães - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Vacinas para Cães

Seções > Cães > Parte 3

VACINA PARA CACHORRO: COMO PROTEGER
Cuidar da saúde dos pets é fundamental, por isso, é preciso manter o calendário de vacinação sempre em dia.

Quem tem pets sabe como é importante garantir que eles se divirtam, se alimentem e durmam direito. Porém, muito mais do que isso, faz parte das responsabilidades dos tutores de animais de estimação garantir que eles se mantenham saudáveis.
A vacina pode variar de acordo com a idade do cão. Um filhote, por exemplo, que tem menos imunidade, terá um calendário de vacinação mais intenso nos primeiros meses de vida do que um adulto.
É essencial contar com o acompanhamento de um médico veterinário de confiança, que trabalhe em uma clínica veterinária de qualidade. Isso permitirá que o cão tenha o melhor tratamento e as melhores vacinas.
Mas, antes de qualquer coisa, é extremamente importante entender quais são as vacinas que ele deve tomar, para que cada uma delas serve, a periodicidade e como manter o cartão de vacinação sempre atualizado, afirma a Dra. Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Abaixo dicas para manter um cãozinho sempre saudável:

Por que devemos vacinar os cães?
As vacinas ajudam a reforçar o sistema imunológico em todas as fases da vida do pet. Elas produzem anticorpos que estimulam o desenvolvimento do sistema que ajuda a manter um cão saudável, protegendo-o contra diversas doenças muito perigosas.
Porém, as vacinas possuem um efeito temporário: cada tipo de vacina possui um período para expirar. Por isso, é necessário repeti-las com uma determinada periodicidade durante toda a vida do pet.
 
Quais são as vacinas que um cãozinho deve tomar?
Há uma série de vacinas obrigatórias, que estão registradas no calendário de vacinação. Aquelas que devem ser aplicadas anualmente são:

V8 ou V10:
Essas vacinas possuem a mesma funcionalidade. A diferença é que a vacina V10 possui mais alguns componentes que protegem contra certas bactérias. Ambas as vacinas protegem contra cinomose, hepatite infecciosa canina, adenovirose, coronavirose, parainfluenza canina, parvovirose e leptospirose canina.
 
Antirrábica:
Esta vacina protege os cães contra a raiva e outras zoonoses que podem ser transmitidas para pessoas. Muitas cidades oferecem essa vacina gratuitamente em eventos específicos; verifique a agenda disponível na prefeitura do seu município.
 
Giárdia:
Esta vacina previne o desenvolvimento da giardíase, infecção causada por parasitas que vivem no intestino dos cães.
 
Tosse canina:
A vacina contra a tosse impede a proliferação de agentes infecciosos e bactérias que causam tosse, espirros e até mesmo a falta de apetite e a pneumonia canina.

Quando o cão deve ser vacinado?
Se houver um filhotinho em casa, ele deve ser vacinado após os 45 primeiros dias de vida.  A única exceção será se a cadela que deu à luz a essa ninhada nunca tenha sido vacinada. Neste caso, a vacina para cachorro pode ser inativada pelos anticorpos que a mãe passa para a sua cria.
Por isso, filhotes só devem ser vacinados com a partir de 2 a 3 meses de vida. Nesta ocasião, o pet deve receber a aplicação de, no mínimo, duas doses da vacina V8 ou V10.
No caso de cães adultos que nunca tenham sido vacinados ou filhotes que tenham passado do período inicial correto de vacinação há um tratamento diferente. Estes pets devem receber 3 doses da vacina múltipla, com um intervalo de 21 dias entre elas, além de uma dose única da vacina antirrábica.
Para garantir que seu cãozinho esteja sempre saudável, tanto a V8 ou V10 quanto a vacina contra a raiva devem ser aplicadas anualmente.

Existe algum efeito colateral da aplicação da vacina para cachorro?
É importante reforçar que as vacinas existentes hoje no mercado passam por diversos testes e experimentos que garantem a melhor eficácia e o mínimo de efeitos colaterais nos pets. De qualquer forma, cada experiência é individual e pode ter diferentes ocorrências.
 
Alguns cães podem se aparentar mais desanimados após tomarem uma vacina – o que é completamente normal. Outros efeitos colaterais incluem inchaço no local de aplicação, coceiras ou inflamações.
 
Cuidados no dia da vacinação
Aplicar a vacina para cachorro pode ser um evento um pouco complicado, dependendo da personalidade do pet. Por isso, é importante levar alguns cuidados em consideração antes de administrar os medicamentos para garantir que o pet se mantenha tranquilo e sem medo.
Lembre-se que é essencial que as vacinas sejam aplicadas por um profissional competente. Isso garantirá a segurança e integridade do animal. Não tente aplicar as vacinas sozinho, nem deixe que pessoas sem as qualificações necessárias façam isso. Confira as dicas:

Aplique as vacinas em um local onde o cão se sinta confortável.
Agende-se para aplicar todas as vacinas no mesmo dia. Pode parecer mais complicado e dolorido. Por outro lado, o cão terá apenas um instante de desconforto durante o ano, ao invés de diferentes datas para administração das vacinas.
 
Prepare o momento para a vacinação. Se o cachorro for calmo e manso, mantenha-o na guia durante todo o processo. Caso ele seja mais agressivo, é importante colocar uma focinheira para evitar acidentes.
 
Não administre nenhum tipo de vacina no pet se estiver doente. Antes de aplicar as injeções, verifique com um veterinário de confiança se o cão está sadio para recebê-las.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal