Viajando p/o exterior... - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Viajando p/o exterior...

Seções > Cães
Quer levar seu pet para viajar para o exterior? O Jornal Animal entrevistou o Dr. Regis Patitucci, proprietário da Clínica Veterinária Stetic Dogs. É ele que nos explica o que é preciso fazer para levar o seu pet para uma viagem fora do Brasil. Vamos conferir?

1. Se um tutor quer levar o seu pet, que é um cão, para uma viagem para fora do Brasil, quais são os procedimentos necessários?
R. Os procedimentos são os mesmos, quando um animal viaja acompanhado, tanto faz com o proprietário ou tutor, a responsabilidade é total de quem acompanha. Os documentos são os mesmos, basicamente é despachado como bagagem.

2. No caso de um gato, se o seu tutor quiser levá-lo em uma viagem para for do Brasil, o que é necessário providenciar?
R. Para cães e gatos, considerados animais de companhia, o procedimento burocrático é o mesmo, o que muda são as exigências de cada país, que variam bastante.
3. Há procedimentos diferentes para cada país para se levar um cão ou um gato em viagens para fora do Brasil? De quanto tempo é a demora para se conseguir a autorização para uma viagem com um pet, cão ou gato?
R. Cada país tem a sua exigência própria. As exigências podem também serem solicitadas por regiões. Por exemplo, na União Européia é necessário um exame de sangue com resultado favorável para a eficácia da vacina de raiva. Mesmo assim é necessário aguardar 90 dias corridos antes do embarque, ou seja, se alguém quiser viajar com ou seu Pet para a União Européia vai ter que aguardar uns 100 dias.
4. No caso de uma viagem, por exemplo, para os Estados Unidos, o que é necessário providenciar no caso do tutor querer levar o seu cão ou ainda, o seu gato?
R. Um atestado de vacina com a vacina de raiva aplicada há pelo menos 30 dias. Um atestado de saúde emitido por veterinário com informações específicas que satisfaçam as exigências americanas (por exemplo, o cão deve estar livre de miiases). Preenchimento correto das guias e respeitar as datas de validades dos documentos. Encaminhar toda documentação para o ministério da agricultura emitir um documento internacional.
5. No caso de países da Europa como, por exemplo, a Itália, quais são os procedimentos para um tutor levar o seu cão ou o seu gato para uma viagem fora do Brasil?
R. Além do atestado de vacina, atestado de saúde, guias preenchidas, anexar um resultado de sorologia anti-rábica (feito 90 dias antes da viagem) e implantação de micro chip.


6. Quanto aos países da América do Sul, como a nossa vizinha Argentina ou ainda o nosso próximo Paraguai, são necessários procedimentos, mesmo quando a viagem é feita com o próprio veículo do tutor, em seu carro?
R. Os documentos são os mesmos independente do veículo de transporte.

7. É possível utilizar companhias aéreas brasileiras e o tutor levar o seu cão ou ainda o seu gato, ao seu lado, na aeronave? Se sim, o que é preciso fazer para que isso seja possível?
R. Levar um Pet dentro da cabine de um avião depende do tamanho, peso e se a companhia aérea permite.

8. O tutor de um pássaro, consegue levá-lo para uma viagem para fora do Brasil? Se sim, o que é preciso fazer para que isso seja possível?
R. É muito complicado o transporte internacional de aves, principalmente se forem silvestres, além de todo trâmite do ministério da agricultura, ainda é necessário preencher uma guia especifica que não é exigida para cães e gatos (GTA guia de transporte animal) e uma autorização especial emitida pelo Ibama.

9. Quais são as outras espécies animais que são permitidas que o seu tutor as leve em viagens internacionais?
R. Todas as espécies que não forem caninas ou felinas necessitam de um estudo entre vários órgãos, tanto do país de origem como de destino para a autorização de viagem.

10. Quais são as espécies animais não permitidas ao tutor para que ele as leve para viagens internacionais?
R. Variam de país para país, tanto de origem como de destino.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal