Martina Leme - Psitacídeos - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Martina Leme - Psitacídeos

Seções > Pássaros
A nossa web revista Jornal Animal traz para você uma entrevista muito especial com Martina Leme que nos fala do seu importante trabalho como consultora enm Psitacídeos. Confira!

 
1. Martina, como surgiu o seu trabalho como Consultora em Psitacídeos?
R. Estou há muitos anos atuando no mercado pet e vi muita falta de informação ao cliente que adquire um animalzinho, principalmente com as aves! Pelo fato de conviver e cuidar de aves como arara e calopsitas, fui estudando  sobre os psitacídeos, auxiliando amigos e familiares com este tema, naturalmente foi surgindo o trabalho de consultoria e gestão de produtos específicos para aves, ensinando noções básicas para o manejo/comportamento aos papais e mamães de primeira viagem.

2.      Para quem ainda não conhece muito sobre a designação das espécies pets, fale-nos sobre os Psitacídeos:
R. Grupo de aves que possuem as seguintes características: bico encurvado (adunco) mandíbula superior recurvada sobre a inferior, que é uma adaptação  para sua base alimentar (sementes e frutos); língua carnuda e grossa; dedos livres (dois para frente e dois ara trás), pés adaptados para prender o alimento.
São aves extremamente inteligentes, possuem o cérebro mais desenvolvido e capazes de imitar sons e palavras com  grande exatidão! Possuem lindas plumagens, muito coloridas conferindo extrema beleza; excelentes pets para companhia e vivem bastante, podendo chegar à 70 anos no caso das araras.
Existem mais de 360 espécies e 80 gêneros das famílias Psittacidae, Strigopidae e Cacatuidae, as aves mais conhecidas são: araras, papagaios, cacatuas, calopsitas, periquitos, jandaias, tuins, maracanãs, maritacas, agapornis, marianinhas, ring necks, ararajubas, etc.
Os psitacídeos são um dos grupos que mais sofrem com o tráfico de fauna silvestre, quando esses animais são caçados para a venda, as árvores que possuem ninhos costumam ser derrubadas. Isso prejudica a reprodução de diversas espécies de aves que utilizam o mesmo ninho em épocas reprodutivas diferentes. Além da caça para a comercialização, sofrem com a contínua destruição do seu habitat.

3.      Fale-nos sobre o seu trabalho voluntário com idosos e pets, mais especificamente, calopsitas e gatos.
R. Eu sempre tive vontade de fazer este tipo de trabalho voluntário, até que fui convidada por Diego Bitener (B & S Falcoaria) para participar com minha calopsita "Richard Einstein" de um evento para crianças especiais na "Casa do Sol", projeto idealizado por Mari Aprille (Biophilia Interação Animal). Convidei minha madrinha de projeto a especialista em felinos Cecy Passos, que  levou a cat model Nikole. Formamos uma corrente em prol de levar interação entre os animais e as crianças, um lindo trabalho!
Logo depois, em reunião com o amigo Cleber Santos Adestrador (Comport Pet), surgiu a idéia e convite para montarmos um grupo, convidados pelo Dr. Eduardo Neto (Hospital Premier) para interagirmos com pacientes idosos! Formamos o grupo, eu (com minha calopsita e gata), Cleber com os cães e Cecy Passos com os gatos.Vamos uma vez por mês ao hospital e nosso trabalho é de AAA (Atividade Assistida por Animais), onde a principal atividade é promover a interação animais x pacientes, levar entretenimento.
Este trabalho voluntário foi tema de defesa de tese do Dr. Eduardo Neto (Hospital Premier) e houve uma excelente resposta junto aos pacientes, tendo uma melhora em seu estado emocional e eles interagiram melhor entre eles através das visitas com os animais. Sou muito grata a todos que colaboraram com este trabalho voluntariado e que hoje são exemplos de "cases" de sucesso!

4.      O que faz um(a) Bird Sitter? Qual é a atuação e qual é o campo de trabalho para atuação de um(a) Bird Sitter?
R. Um Bird Sitter tem como principal atividade cuidar de aves: alimentação, higiene, interagir para socialização, cuidando do seu bem estar, observar sua saúde e recomendar um veterinário  especialista quando for preciso.
Atuando no caso de clientes que precisam viajar e não podem ou querem tirar suas aves do seu alojamento(indo no domicílio), lojas pet que trabalham com aves e precisam de um consultor para cuidar, indicar produtos e socializar, enfim, clientes que possuem aves e procuram  um cuidador para se dedicar ao bem estar.

5.      O que é a Pet Terapia?
R. A pet terapia é uma interação entre pessoas e animais como ferramenta de estímulo. As propostas são “Atividade Assistida por Animais” (AAA) e “Terapia Assistida por Animais” (TAA). Na AAA, a proposta é a recreação dos pacientes por meio de atividades onde o pet apenas os distrai, servindo como terapia, uma vez que os tratamentos são cansativos e dolorosos. Na TAA, o animal ajuda no tratamento, servindo como instrumento e estímulo para a realização dos movimentos, tudo mediante supervisão médica.

6.      Quais são os benefícios da Pet Terapia?
R. A pet terapia diminui a percepção de dor e a ansiedade do paciente, além de auxiliar na fonoaudiologia, fisioterapia e no controle do estresse. Entre os benefícios, também estão o aumento de células de defesa e do nível de endorfina. Com o aumento da endorfina, a depressão é reduzida e traz muito bem-estar, alem de proporcionar intensa memória afetiva (onde os pacientes se recordam de seus mascotes, trazendo uma boa e feliz lembrança).

7.      Para quais pessoas a Pet Terapia é indicada? Crianças? Adultos?
R. Indicada para ambos (pessoas com deficiências mentais ou problemas de aprendizagem, pessoas hospitalizadas ou com problemas físicos, crianças e adultos com problemas de adaptação social, crianças e adultos com problemas de adaptação social e pessoas com problemas psicológicos).

8.      O que é ser uma Mãe Manager calopsita Richard Einstein?
R. Richard Einstein foi um presente do meu companheiro, ele sabia que eu estava querendo muito uma calopsita. Escolhi o mais novinho, estava com 2 meses e o criei na papinha; desde sua chegada observei sua extrema inteligência e carinho, fala e canta muito! Ele possui o dom de encantar e alegrar as pessoas, assim naturalmente, foi eleito para interagir em pet terapia desde o primeiro evento, onde curtiu muito. Ele adora estar entre pessoas e tirar fotos; e assim me tornei mãe manager por gerenciar sua atuação no voluntariado e em eventos, sempre respeitando seus limites (tomo cuidado com horário, no máximo 2 horas) .Temos uma enorme ligação e minha maior alegria e vê-lo feliz e saudável!

9.      O que é a Atmosfera Silvestre Selvagem?
R. "Atmosfera Silvestre Selvagem" é minha fan page (FaceBook e Instagram), ainda muito nova! Meu objetivo é levar entretenimento, noticias, imagens e informações sobre o mundo animal (fauna/flora); faço tudo com muita dedicação e carinho é um espaço bacana para os amantes da natureza!
Além de informar sobre os acontecimentos em relação ao planeta, conseqüências da destruição da fauna e flora, e conscientizar as pessoas de como podemos fazer a nossa parte para colaborar com a preservação e informar sobre tráfico de animais! E diante de tantas atrocidades com nosso planeta, poder levar as belezas naturais através de lindas imagens e mensagens!

10.     O que a estudante de Biologia e administradora financeira, Martina Leme, tem como o seu maior objetivo dentro do seu trabalho como Consultora em Psitacídeos?
R. Eu estou em fase de muito estudo, todo dia aprendemos algo! Meu maior objetivo é levar informação baseada em conhecimentos científicos e práticos para quem quer ou já tem uma ave como pet, assim, poderemos evitar abandonos e criar bem é uma forma de preservar a vida! Creio que somente a vontade de aprender e absorver informações sobre o assunto pode colaborar para futuros proprietários exercerem a guarda responsável de seus pets! Esta é minha maior meta: informação sempre, compartilhar conhecimento para cuidar bem!

11.     O Brasil cuida bem de seus pets?
R. "Apesar da crise econômica e do momento de conter gastos, o que não dá pra negar é o carinho e a dedicação que as pessoas têm com seus bichinhos de estimação. Tem gente que não economiza nem tempo, nem dinheiro para garantir uma vida boa para eles.
Para se ter uma idéia, o Brasil é o segundo maior mercado pet do mundo, está atrás, apenas, dos Estados Unidos, e movimenta mais de R$ 15 bilhões por ano." (Fonte G1)
Sim, cada vez mais os pets são tratados como membros da família e o mercado proporciona muito conforto e bem estar (alimentação, acessórios, higiene e beleza, saúde), nós que temos nossos melhores amigos, sejam eles, de pêlos ou penas temos a nossa disposição um mundo de opções para proporcionar uma vida saudável e feliz! Em relação aos pets silvestres e exóticos ainda existe muita falta de informação, eis a necessidade de consultoria neste nicho ainda novo no mercado.
 
Martina Leme - Estudante de Biologia/Administradora Financeira.  Atua na Consultoria e Gestão em Projetos Especiais com Psitacídeos, entretenimento, news, Pet Terapia/Bird Sitter, gerenciamento Redes Sociais e Mãe Manager calopsita Richard Einstein.

"ATMOSFERA SILVESTRE SELVAGEM" - fan page (FaceBook e Instagram).
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal