Dra. Regina Fernandes Mansoldo - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Dra. Regina Fernandes Mansoldo

Seções > Entrevistas > Profissionais > Pág. 02
A médica veterinária Dra. Regina Fernandes Mansoldo, que atua em clínica e cirurgia de pequenos animais e equinos, nos traz importantes informações sobre como cuidar dos nossos queridos pets. Confira!

1.   O que a levou a estudar Medicina Veterinária?
R. Grande interesse em saber tratar animais feridos e acometidos por doenças, já que convivi com animais durante toda a infância e infelizmente perdi muitos por impossibilidade de tratamento.

02. Dentro da Medicina Veterinária, você se especializou em algum segmento?
R. Cirurgia de pequenos animais, mas tenho interesse em dar continuidade ao atendimento clínico e cirúrgico de equinos, cursando pós-graduação na área.

03. Como é o dia a dia do trabalho como médica veterinária? Quais são os atendimentos mais frequentes?
R. Atualmente tenho atendido em consultório veterinário localizado em região de chácaras, portanto são frequentes chamados para atendimento em domicílio para cães de porte grande e até mesmo outras espécies como ruminantes, equinos.
 
04. Você teve animais de estimação em sua infância? Como se chamavam e como eles eram?
R. Sempre tive cães, gatos e até aves na infância. Nunca tivemos animais comprados, eram todos adotados. Os nomes eram Titio, Sheik, Nina, Miau, Lulu e muitos outros.
 
05. Atualmente você tem animais de estimação?
R. Tenho ainda mais animais que durante a infância, até porque não tenho o controle imposto pela mãe como antes. Atualmente tenho 8 cães, 8 gatos, 4 patos, 2 galos, 2 galinhas, 1 égua e 1 cavalo.
Sendo os cães e gatos adotados por maus tratos, abandono, etc...
Os nomes são: Apolo, Akon, Shakira, Dino, Willy, Lucky, Billi, Freddy, Amarelo, Tigrado, Loiro, Ariel, Priscila, Frajola, Mickey,Pérola e Ícaro.  
Falecidos: Milú, Jully, Princesa, Pegasus, Brug, Bidu, Pantera, Cleury, Kinha, Susi, Guilherme, Diego, Tully e Negona.
São todos mansos e amorosos com pessoas, mas às vezes brigam entre eles por ciúmes. Os 3 pit bulls mantenho separados.
Os cavalos não são usados para montaria e o potro ainda precisa ser domado.

06. O que os governos dos países ainda não fizeram e que precisaria ser feito em relação à proteção e cuidados com os animais?
R. Ainda faltam auxílio e criação de novas ONGs bem como hospitais públicos veterinários, que beneficiariam a população carente que cuida do animal e também proporcionaria mais experiência e atuação dos Médicos Veterinários especialistas.
 
07. Como se deve cuidar de um animal de estimação?
R.  Ao adquirir um animal, deve-se ter consciência das responsabilidades que vão muito além da alimentação, higiene e saúde. De preferência fazer uma pesquisa sobre comportamento e necessidades que podem ser diferentes dentro da mesma espécie, evitando o descarte do animal por hiperatividade, falta de espaço, marcação de território, queda de pelos, gastos com pet shops, veterinários, medicamentos, hotéis, etc...
Os cuidados são específicos para cada espécie e raça, sendo fundamental o acompanhamento pelo Médico Veterinário independente da fase de vida em que o animal esteja, incluindo prevenção e controle de morbidades.

08. Como se deve prevenir doenças em cães e gatos?
R. Quando se fala em profilaxia, ou seja, prevenção de doenças em cães e gatos devemos ter em mente que se trata de um processo abrangente que vai desde cuidados básicos de alimentação e higiene até o completo programa de imunização aliado ao controle de verminoses e ectoparasitas, não se esquecendo que algumas doenças, chamadas de zoonoses são transmitidas aos humanos.  

09. Quanto à alimentação de um cão ou de um gato, como el deve ser feita em termos do que deve ser oferecido, bem como quanto à quantidade diária?
R. Devido aos numerosos tipos e marcas de rações produzidas atualmente, deve-se seguir as recomendações do fabricante, pois sua liberação ao mercado consumidor é vinculada a aquisição de registro fornecidos pelos órgãos competentes, que também dependem de pesquisas prévias sobre valor nutricional, palatabilidade, absorção, etc...
Em casos especiais como convalescência, doenças congênitas e cirurgias do sistema digestório, seguir rigorosamente as orientações do Médico Veterinário.

10. De quanto em quanto tempo deve-se levar um cão e/ou um gato para uma avaliação de um(a) médico(a) veterinário(a)?
R. Semestralmente seria o ideal para uma consulta veterinária de rotina, lembrando que filhotes no primeiro semestre de vida devem ser vacinados somente pelo Médico Veterinário e isso necessita de intervalos de 30 a 45 dias até que se complete o esquema vacinal proposto e exigido em casos de viagens a outros estados ou países.

11. O que você, como médica veterinária, gostaria de dizer para os internautas da web revista Jornal Animal?
R. Cuidado com orientações de leigos e outros profissionais que atuam no ramo pet e/ ou saúde humana, NUNCA se esquecendo que a prescrição de medicamentos aos animais independente da espécie é de responsabilidade EXCLUSIVA do Médico Veterinário.
Animais doentes e feridos sem tratamento podem ser considerados como maus tratos, crime previsto em lei tanto quanto o abandono.

Dra. Regina Fernandes Mansoldo - Médica Veterinária autônoma em São Paulo e região, atuação em clínica e cirurgia de pequenos animais e equinos. CRMV 33544.
Formada pela Universidade Bandeirantes- Anhanguera, SBC - SP em 2013. Curso de Técnicas Cirúrgicas em pequenos animais concluído em 2017 no CETAC Centro de Treinamento em Anatomia e Cirurgia/ Pós Graduação Veterinária - São Paulo - SP. Enfermeira COREN-SP 69989.
Formada pela Faculdade do Hospital Israelita Albert Einstein - São Paulo-SP, 1994. Atuação em Saúde pública na PMSP desde 2002. Supervisão Técnica de Saúde Butantã.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal