Sandro Cappelli - Jornal Animal

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Sandro Cappelli

Seções > Entrevistas > Profissionais
Conhecendo um pouco mais sobre a nutrição de cães.

Nesta entrevista com Sandro Cappelli, a sua web revista Jornal Animal traz para você importantes informações que o zootecnista oferece para quem quer oferecer sempre o melhor para os seus cães. Vamos lá?

1-      O que contém em uma ração para cães e como ela é constituída?
R. A partir do aumento da proximidade dos cães com o homem, os aspectos nutricionais também tiveram mudanças significativas. Dentro dos pátios das casas, os cães dependem da alimentação provinda dos donos, esta alimentação deve conter níveis adequados de proteína, energia, minerais e vitaminas.
A ração comercial, por ser nutricionalmente balanceada, contém em sua composição níveis calculados de ambos nutrientes, sendo que no mercado existe a disposição rações para as diferentes fases de vida do cão, desde rações mais baratas, conhecidas como Standard, até rações mais elaboradas nas linhas Superpremium.
Dentro de um pacote de ração existem todos os nutrientes de que um cão precisa, onde são encontradas proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais. Estes elementos são adquiridos através de farinhas de origem animal, farelos vegetais, grãos, subprodutos lácteos, núcleos vitamínicos e minerais.
Além dos elementos citados acima, as rações podem ser enriquecidas com diversos aditivos que podem proporcionar uma melhora na qualidade de vida do animal, desta forma surgem as rações funcionais, que além de nutrir promovem melhoria e manutenção da qualidade de vida do cão.

2-      Como se determina que uma ração seja adequada para filhotes ou adultos?
R. Antes mesmo da produção da ração, Zootecnistas e Médicos Veterinários da área de nutrição animal estudam profundamente as exigências nutricionais dos cães em suas diferentes faixas etárias. A partir disso, são adquiridas informações das necessidades de aminoácidos essenciais, proteínas, energia, vitaminas e minerais que a faixa etária necessita.
Os dados obtidos são tabulados, desta forma a partir de programas de formulação de dietas é realizada uma comparação da necessidade nutricional com a composição química dos alimentos selecionados, assim as dietas são balanceadas aos níveis de exigência limitados pelo software de formulação, resultando  em um alimento completo e capaz de atender todas as exigências nutricionais dos cães.

3-      Qual a importância do período de validade? Caso o cão consuma uma ração com a validade excedida, o que pode provocar neste cão?
R. Ficar atento ao rótulo das rações é de grande relevância, pois além de trazer informações importantes sobre a composição química e o tipo de ração que a embalagem comporta, contém obrigatoriamente o período seguro para o fornecimento da ração, conhecido como tempo de validade útil do produto.
A validade de uma ração é determinada a partir da validade da matéria prima utilizada no processo de fabricação. Toda matéria prima utilizada neste processo, não deve exceder o tempo de validade do produto acabado. Desta forma, as fábricas de rações para cães contam com um departamento de controle de qualidade, que é também responsável pela rastreabilidade das rações acabadas, contendo informações cruciais das matérias primas utilizadas na confecção de um lote “X”, inclusive a validade dos produtos inclusos. Desta forma pode-se delimitar um período de comercialização segura da ração.
Deixar o cão consumir uma ração com o prazo de validade excedido pode ser tornar um perigo, pois a partir do momento que passa o prazo de validade, o fornecedor do produto não garante mais que as características em valia permaneçam após o período excedente.
Devido às matérias primas utilizadas na produção serem energéticas e ricas em proteínas e gorduras, pode ocorrer a peroxidação e rancificação da ração, gerando perdas na palatabilidade, crocância e na qualidade bromatológica do produto.
Consumir uma ração com validade excedida, além da perda da qualidade pode ocasionar problemas graves a saúde do cão, como dores de barriga, intoxicações hepáticas e lesões renais. Todos esses casos patológicos são decorrentes da multiplicação de bactérias e fungos, que por vez são capazes de produzir grande quantidade de toxinas.

4-      Qual a diferença de uma ração Combat, Standard, Premium e Superpremium?
R. As rações Combat, também conhecidas como populares são formulados com ingredientes variáveis e de menor biodisponibilidade para a digestão. Os ingredientes utilizados na confecção variam de acordo com a oscilação das matérias primas no mercado, desta forma não existe uma formulação fixa.
Rações Standard normalmente possuem formulação fixa, onde a oscilação de mercado não muda a composição da ração. Normalmente são utilizados ingredientes e farinhas de maior biodisponibilidade, aumentando assim o aproveitamento de nutrientes pelos cães.
As rações Premium, Além de possuírem formulação fixa e ingredientes de alta taxa de digestibilidade, também entra em sua formulação uma gama de aditivos nutricionais e tecnológicos, que além de melhorar a qualidade alimentar do cão, também é capaz de eliminar o desconforto dos donos, com rações capazes de diminuir o odor e melhorar a consistência das fezes.
Nas Linhas Super Premium, além das rações contarem com ingredientes de primeira linha e em muitos casos apresentarem em sua composição cortes de carnes e frutas desidratadas, a importância com a manutenção da saúde do cão é o ponto chave. Nesta linha de rações, podem ser encontrados produtos específicos para cães com problemas de pele, renal, raças específicas e diversas outras características que as empresas pet criam diariamente, com o intuito de otimizar a qualidade de vida do animal e tranquilizar donos mais exigentes.
 
5-      Existe uma quantidade adequada de ração para ser fornecida diariamente?
R. A quantidade de ração a ser fornecida depende do porte do animal e o estilo de vida que ele leva naturalmente.
Quando o cão é filhote, o interessante é fornecer a ração de 3 a 4 vezes por dia, com o passar do tempo você vai diminuindo a frequência de fornecimento.
De acordo com a tabela de fornecimento da empresa Premier Pet, as quantias vão se alterando da seguinte forma:
Além de prestar atenção nas diferentes tabelas de recomendações que são encontradas nas embalagens, cuidar do escore corporal do cão é de grande importância, pois o controle da quantidade a ser fornecida pode ser regulado a partir do estado nutricional visual do animal.

6-      O que são petiscos? São diferentes de rações? Qual a quantidade que pode ser fornecida diariamente?
R. Existe no mercado uma grande disponibilidade de petiscos para cães. Estes atrativos devem ser utilizados como uma forma de recompensa, ou como um agrado para o animal, mas jamais devem substituir o alimento completo que é a ração.
Muitos petiscos são produzidos com as mesmas matérias primas utilizada na produção das rações, somente com maior incremento de gorduras e palatabilizantes, com a intenção de se tornar um atrativo.
O mais interessante é procurar petisco com menores níveis calóricos, que podem ser oferecidos entre as refeições e em períodos de brincadeiras com o animal. Fornecer de 3 a 4 petiscos diários não irá acarretar em prejuízos nutricionais e faz com que ocorra a interação e proximidade do cão com o dono, tornando-se algo saudável.
7-      Qual a atuação de um Zootecnista na área de nutrição de cães e gatos?
R. O Zootecnista é um profissional apto para atuar em qualquer área da nutrição animal, independente da espécie de interesse.
O profissional Graduado em Zootecnia estuda durante 5 anos de graduação, conhecimentos que vão desde química, metabolismo, fisiologia e nutrição animal aplicada, com conhecimentos zootécnicos aprofundados.
O Zootecnista na área de nutrição pet pode atuar desde processos de fabricação, controle de qualidade e formulação de dietas completas para cães e gatos. Além disso, é o profissional indicado para atuar na área de consultoria, vendas e assistência nutricional animal.

8-      Qual a sua grande meta de atuação na área da Zootecnia?
R. Tenho como grande meta atuar ativamente na área de nutrição animal, antes mesmo de concluir a especialização que curso na atualidade. Para alcançar este objetivo pretendo me especializar mais na área de Zootecnia, realizando um mestrado acadêmico na área, com o intuito de adquirir mais conhecimento e visibilidade no meio profissional e acadêmico.

9-      Você teve animais em sua infância? Como se chamavam? Quais as lembranças que estes animais lhe trazem?
R. Sempre tive animais na minha casa durante a infância, meus pais sempre foram muito apegados aos animais, principalmente em cães. Quando criança tive dois cachorros em minha casa, uma cadela chamada de Tita e um cão conhecido por Urso. Eu e minha irmã mais velha tínhamos um apresso imenso por ambos, temos grandes recordações e ótimas lembranças destes dois cães.
Manter a proximidade de crianças com cães é a forma mais saudável de transformar crianças em adultos, pois a partir do momento que a criança ganha um cãozinho, ela passa a ter responsabilidades e demonstrar afeto sobre ele, algo muito importante na construção de um ser humano.

10-   Atualmente você tem algum animal pet?
R. Não consigo viver sem cães! Atualmente onde moro com minha família temos dois cães, cada um com um comportamento específico. Tenho um Pincher que leva o nome de Nicky e um Scothish Terrier que é chamado de Scooth.
O Nicky já é um cão de coloração caramelo e de idade avançada, hoje em dia sofre com alguns problemas de saúde decorrentes da idade, mas como bons cuidadores estamos sempre atentos às necessidades dele.
O Scooth é um cão de coloração trigo com 6 anos de idade, é um cão ativo e que está sempre em alerta. Por ser de uma raça escocesa com origem de caça, passa a maioria do dia atento a todos os movimentos e barulhos da casa, quase como um guardião.

11-   Qual a mensagem que você deixaria para nossos leitores e internautas?
R. Quando pretendemos adotar ou comprar um pet, devemos sempre ter em mente que é um ser que sente dor, fome, frio, medo, necessita de carinho, cuidados e não é descartável!
Caso opte por ter um pet em sua casa, certifique-se de que é realmente isso que você deseja, desta forma tenha a certeza que irá receber o amor mais sincero, puro e leal.

Sandro Cappelli - Técnico em Agropecuária com Habilitação em Zootecnia pelo IFRS – Campus Bento Gonçalves (2010); Graduado em Zootecnia pelo IFRS – Campus Sertão (2015) ; Pós Graduando em Gestão da Segurança de Alimentos pelo SENAC. Durante a graduação desenvolveu pesquisas na área de nutrição de animais pet, além de estudos de qualidade microbiológica e bomatológica de rações para cães e gatos  em Iniciação Científica e Extensão. Em 2015 atuou na área de reprodução de suínos. Atualmente em 2016 atua como auxiliar de laboratório na área de nutrição animal.
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal